• Ariani Baggio

1- Dor lombar – A correta identificação da causa potencializa o sucesso do tratamento.

Atualizado: Abr 21

Quem nunca sentiu dor na coluna lombar em algum momento da vida?

Quando nos referimos a qualquer dor na coluna vertebral, imediatamente imaginamos ossos e músculos. No entanto, precisamos nos perguntar: Será que a região da coluna lombar é apena isto mesmo?

A resposta é não! Existe uma infinidade de estruturas conectadas e relacionadas à coluna. Se você tiver a curiosidade de observar um livro sobre o assunto, ou mesmo pesquisar por imagens de anatomia no Google, você irá se surpreender com a diversidade de estruturas presentes nesta região específica do corpo humano.

Neste breve texto, gostaria de exemplificar quão complexo pode ser a detecção da origem de uma dor lombar, desmistificando um pouco esse tema, já que várias estruturas podem ser responsáveis pelas dores que você já sentiu, ou que sente neste momento.

Vamos ilustrar uma situação específica, por exemplo, quando se sentem dores apenas nas ocasiões em que passamos muito tempo sentado. Nesta circunstância a presença de dor pode estar relacionada a espasmo muscular. Isto poderia ocorrer por fatiga do músculo por ficar longos períodos em contração para sustentar uma mesma posição.

Um outro exemplo interessante, e verídico, me ocorreu quando em certa oportunidade recebi uma paciente que sentia dores lombares acentuadas. Após avaliação completa das possíveis origens do problema, concluí que as dores advinham de problemas intestinais. Foi bastante visível que, ao pressionar corretamente a região intestinal, o sintoma na região lombar aliviava sensivelmente. Avançando com a entrevista clínica, a paciente relatou que nunca havia tido doença no trato intestinal, entretanto, se lembrou que anos atrás tinha sido acometida de uma grave infecção intestinal, inclusive passando por internação. Diante da resposta física, e do relato da paciente, foi possível adotar técnicas de Osteopatia para liberação das aderências em seu intestino causadas possivelmente por uma sequela da inflamação que ocorreu na oportunidade da infecção intestinal. Após a adoção dessa conduta clínica os sintomas da dor lombar melhoraram, e para dar o devido andamento ao tratamento desta paciente, solicitei a ela que continuasse com o tratamento osteopático em conjunto com orientação nutricional, e a consulta a um médico gastroenterologista.

Concluímos, portanto, que a complexidade inerente ao corpo humano pode dificultar o diagnóstico de uma enfermidade, mesmo sendo uma simples lombalgia. Isto significa que é necessário muito estudo, especialização, e experiência do profissional fisioterapeuta para observar o paciente além da simplicidade da coluna vertebral, ou dos músculos da região.

Fico por aqui por hoje. Espero que o leitor tenha entendido um pouco sobre a saúde da coluna lombar e da complexidade envolvida em algumas situações clínicas.



0 visualização0 comentário